• Paloma Piccinini

Porque você deve começar a pensar em Branding Pessoal

Sabe quando chega até os seus ouvidos comentários sobre você que simplesmente não te representam? Ou, aquela falta de reconhecimento quando o seu nome não é lembrado para um job promissor? Pois é, essas questões estão vinculadas à percepção que as pessoas têm de você.


Muitas vezes o que ocorre é um ruído, uma situação de certo desequilíbrio entre o SABER (autoconsciência) e o COMUNICAR (verbal e não verbal) sobre quem você é, como você se percebe e se posiciona, frente ao outro lado da equação que está vinculada a maneira como as pessoas te enxergam e te sentem.


E se você está percebendo este ruído é porque chegou o momento de rever como anda a sua comunicação. Entender quais são os sinais que você anda ou não emitindo e quais são os responsáveis em criar esta imagem que está bem distante do que você realmente quer passar.


A questão aqui envolve investigação e intenção, um olhar para dentro para conectar a sua verdade, a sua história com a imagem que você quer projetar e gostaria de ser lembrada. E, este é um dos objetivos do branding pessoal: ajudar na construção e comunicação da sua imagem num lugar de autenticidade.


O primeiro passo é a auto investigação. Reavalie os seus objetivos, propósitos, o que te trouxe até onde você está e se este lugar continua fazendo sentido para você.


Muitas vezes os ruídos surgem para balançar as nossas verdades e trazer à tona as transformações que tanto queremos, mas que acabamos por engaveta-las pelo medo e pela falta de coração


E o branding pessoal é a ferramenta que pode te ajudar nessa transformação.



Posts recentes

Ver tudo